O Útero

O útero é uma espécie de pêra oca e invertida dentro de ti.

Desde sempre que associamos as mulheres às maçãs (seja por causa de Eva, seja pelas histórias da Disney) mas este nosso órgão tem, na realidade, o formato de uma pêra virada ao contrário alojada na pélvis, entre a bexiga e o reto.

O útero, como as mãos ou a cor de olhos, varia de mulher para mulher. Há-os anatomicamente distintos (didelfos, bicornos, septados, arqueados…) e com posicionamentos também distintos (retrovertido, antevertido ou médio).

O útero não está fixo dentro do nosso corpo – é sustentado por músculos, ligamentos e tecido fibroso.
Depois de uma noite de sono costuma estar “mais acima” e ao final do dia, pela posição vertical e com a ajuda da gravidade, “mais abaixo” (se estás a utilizar o toque do colo para monitorização de fertilidade, por exemplo, podes experimentar fazer o teste ).

Possui três camadas distintas:
– o endométrio – a camada interna, e a mais dinâmica das três, responde diretamente ao ciclo hormonal e é essencial à função reprodutora. Quando o óvulo não é fecundado, o endométrio é libertado e a menstruação acontece.
– o miométrio – camada intermédia, composta essencialmente de músculo liso, é o responsável pelo aumento de tamanho e vascularidade durante a gravidez.
– o perimétrio – ou peritónio, é o tecido que envolve externamente o útero.

Numa mulher adulta, o útero pesa entre 50-90gr e durante a gravidez pode aumentar de tamanho 4.000vezes e pesar até 9 kilos com placenta, líquido amniótico, bebé e todos “os extras incluídos”, transformando-se, no final da gestação, numa “bonita melancia”.

E é basicamente esta a sua função: criar um espaço para acolher, nutrir e fazer crescer uma nova vida e, por isso, até à puberdade e após a menopausa está estado de “repouso”.

O útero contrai durante o orgasmo; na verdade, o seu poder de contração é tão extraordinário que nos ajuda quando menstruamos a libertar o sangue, durante a gravidez (com as contrações Braxton Hicks) e durante o parto, ajudando o bebé a encontrar o seu caminho pelo canal vaginal.

Após o parto, o seu processo de involução (regresso ao tamanho original) leva cerca de 6 semanas – aprox. os 40 dias do puerpério.

Em termos de coordenadas internas, o útero encontra-se ladeado das trompas de Falópio e tem, “a sul”, a vagina, à qual se liga através do colo uterino.

Bons Ciclos,

NEWSLETTER

 

Detestas ter a caixa de correio cheia de emails? Eu também. Prometo só dar notícias de vez em quando!

Fechar
O site usa cookies para melhorar a tua experiência de navegação.