Uma história como as outras

O que vos trago hoje (15 Maio 2017) é uma história como tantas outras que recebo semanalmente.

O primeiro contacto que tive da Ana foi um mail com um pedido de informações sobre o Círculo Perfeito em Outubro de 2014 (sim, leram bem, 2014!). Um mail igual a tantos outros. E como acontece com quase metade destes pedidos, não resultou em nada, no imediato.

No final de Março deste ano, a Ana voltou a contactar-me. Tinha tido uma amiga que veio fazer uma sessão individual e decidiu-se então a marcar uma para ela.

Chegou-me com uma história pouco diferente das que ouço: 33anos, a tentar engravidar, com paragem da pílula há 2anos, já com 4 ciclos de Dufine e sugestão de encaminhamento para Infertilidade em Novembro passado.

Só quem está nestes processos sabe o quão aborrecido se torna o sexo. A vida sexual arrefece e torna-se o verdadeiro elefante na sala. Não se fala sobre isso.

Conversámos hora e meia: sobre o timing da janela fértil, sobre o pH da vagina, sobre stress e sobretudo sobre o quão importante é decidir “engravidar a dois” (aproveitando a deixa do Salvador 😉 ); trocámos um mail de esclarecimento depois da sessão, e fui acompanhando o ciclo da Ana através do Kindara, como faço durante o primeiro mês que se segue de todas as novas clientes.

Um mês depois, recebo notícias:

Olá Patricia,
Como estás?
‘Long time no see’ 🙂 e já passou um mês!
(…) Antes de mais, queria dizer-te que em muito tempo que não me sentia tranquila com o ‘não engravidar’. Acalmaste-me 🙂 sinto-me mais em paz!
Talvez também por isso, estamos também os dois mais em paz. As coisas têm fluído de forma mais natural entre nós!
Apesar desta ‘pausa’ (que bem precisava!), continuo a tentar perceber mais de mim – continuo a fazer a medição da temperatura e a estar atenta ao muco… mas continuo indisciplinada com o toque do colo do útero. (…)
Vou continuar a minha descoberta! :)))

Estava em pós-ovulatório. Resolvi ficar atenta por mais uma semana, pois gostei do que vi (ovulação confirmada e sexo com bom timing) mas ainda mais do que tinha lido no mail.

Exatamente 7 dias depois, a progesterona continuava alta: 16 dias de fase lútea!
Resolvi enviar-lhe um mail. Dizia só: “Tudo bem, Ana?” 🙂
E aqui a resposta que recebi:

Patriciaaaaaaa…
Tu sabes coisas, não é?! 😀
Opa… andava desde sábado a pensar “mas a temperatura não devia ter já descido?”, “mas o período não quer aparecer?”… “não te armes em parva porque depois ficas desiludida!”…Tinha um teste em casa, não ia fazê-lo já, mas quando vi o teu e-mail de manhã mudei de ideias. Fiz e PLIM!!! lá estavam eles: dois risquinhos bem parecidos! :))) Só estou a responder-te agora porque estamos para aqui num desassossego feliz e aparvalhado ahahah
Ora felizes, ora “mas será mesmo?”…
Nem sei bem que diga… :))) Diz-me tu que não estamos a sonhar! eheheh

E não, não estavam e não estão a sonhar.
A ecografia a semana passada confirma e para já, tudo bem e “grávidos a dois.”
Perguntei-lhe se me autorizava a partilhar esta história convosco:

“Sim, independentemente do desfecho, sinto que o seguimento que nos deram foi precipitado e que fizemos bem em não ir em frente com o que nos foi sugerido.
Quanto à partilha – salvaguardando a minha identidade eheh – claro que podes!
Aliás, acho que te pediria para o fazeres senão perguntasses. Quanto menos pessoas se submeterem a consultas daquelas, melhor :))

aqui disse que há situações em que posso fazer pouco e que nem todas são lineares nem ultra-rápidas mas na generalidade dos casos há muito para fazer.

Um agradecimento profundo a esta “Ana”, que não se chama assim, por me ter permitido esta partilha, independentemente do desfecho desta gravidez.
Porque o desfecho desta história não tem que ver com as 40 semanas que se seguem mas sim com tudo o que aconteceu antes da nossa primeira sessão.
A todas as outras cuja história não difere muito desta, cujas gravidezes evoluíram ou não, compreendam como é importante partilharmos estes pequenos-grandes sucessos.
Que este post seja uma mensagem de esperança a todas aquelas que estão a tentar engravidar mas sobretudo um alerta sobre a urgência da boa informação e sobre o quão importante é conhecermos o nosso corpo, sabermos adequar expetativas e fazermos “a nossa parte”.

Obrigada por confiarem em mim e no meu trabalho.
São vocês que fazem os meus dias e o caminho que escolhi tão melhores e, por isso, vos estarei eternamente grata.


Atualização Janeiro de 2018

Esta bebé já nasceu!
E a Ana – que é, na verdade, uma Sandra – deu-me autorização para partilhar convosco este “Antes&Depois”: o gráfico de gravidez (lá em cima) e fotos às 37semanas e às 40 🙃 ✨

Leave a Reply

NEWSLETTER

 

Detestas ter a caixa de correio cheia de emails? Eu também. Prometo só dar notícias de vez em quando!

Fechar
Este site, à semelhança de tantos outros, utiliza cookies para melhorar a tua experiência de navegação.