Ouvir para entender

Ouvir para entender é o único segredo da monitorização natural
da fertilidade.

Ontem, 23 Abril, recebi a notícia de mais uma gravidez. São catorze
gravidezes (14) em quase 5 meses de trabalho mas não me venho gabar disso porque, na verdade, os louros não são meus.

O meu trabalho só dá frutos quando do outro lado estão mulheres/casais resilientes, capazes de resistir à pressa e à voracidade dos dias e dos resultados. O corpo tem um tempo. Precisamos de aprender a ouvi-lo para o entender, e aceitar que há uma curva de aprendizagem em tudo e que app nenhuma saberá mais sobre a eventual janela fértil do que a própria mulher, assim tenha ela a informação que necessita para a identificar.

Monitorizar naturalmente a fertilidade não significa tentar o método dois, três ou quatro meses e “partir para outra porque esta não deu” – até porque, convém lembrar, não há garantias que “as outras dêem”:

“Há uma tendência crescente para considerar as técnicas mais sofisticadas (FIV e ICSI) como uma espécie de panaceia, um tratamento extremamente eficaz e indicado em todas as situações.
No entanto, tal não é o caso e a selecção dos casais para quem estas alternativas são adequadas deve ser feita tentando evitar a criação de expectativas excessivas e irrealistas, fonte de frustrações e sofrimentos psicológicos adicionais.”

in Sociedade Portuguesa de Medicina de Reprodução

Monitorizar naturalmente a fertilidade não é um método “alternativo”, como já ouvi por aí.
(Mas como é que algo tão essencial como compreender o funcionamento básico do ciclo pode ser “alternativo”? 🤔)

O ciclo menstrual é o nosso 5º sinal vital de saúde. A definição não é minha mas do Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas e já era tempo dos nossos médicos se atualizarem…
Quando o corpo opera num ambiente seguro, instalam-se ciclos menstruais saudáveis – é a sua forma de dizer: “agora sim, consigo funcionar com o que me dás!”.
O corpo precisa estar em equilíbrio para ser capaz de dar a resposta que tanto esperamos – e isto é válido para quem quer engravidar, para quem tem ciclos irregulares, fases lúteas curtas ou está sem menstruar/ovular.

Esta gravidez surge após um período de amenorreia de mais de dois meses e só acontece porque, durante esse período, esta mulher (vamos chamar-lhe Catarina) esteve atenta aos sinais, aos seus indicadores de fertilidade e ao que podia fazer.
Esta gravidez acontece com uma ovulação a dia 68 de ciclo – sessenta e oito!
Sem pressas, sem pressão, a Catarina teve a capacidade de se manter atenta, tranquila, confiante, a trabalhar em conjunto com o seu corpo – e PLIM ✨

Olá Patrícia!
Estou a enviar-te este e-mail para te dar uma boa notícia, fiz um teste de gravidez hoje e o resultado foi positivo 😀 Ovulei finalmente após uns longos 68 dias em que nada parecia acontecer, e parece que desta vez foi um “tiro” certeiro!! (…) hoje, aos 17 dias de FL, a temperatura continuava a subir e decidi fazer o teste.
Agora é esperar que corra tudo bem 😊
Muito obrigada pela ajuda e transmissão de conhecimento que me fez acalmar e esperar sem pressas pelo momento certo!

Informação. Atenção. Tempo.

Bons ciclos,

NEWSLETTER

 

Detestas ter a caixa de correio cheia de emails? Eu também. Prometo só dar notícias de vez em quando!

Fechar
Este site, à semelhança de tantos outros, utiliza cookies para melhorar a tua experiência de navegação.