Clientes Satisfeitas

Em 2018 celebro 1000 (mil!) acompanhamentos 😊 Aqui alguns testemunhos de quem frequentou os workshops ou sessões individuais:
Tenho o DIU e é diferente estar no workshop e não poder testar tudo o que aprendo. Já no CP1 tinha-o e mesmo assim, mudei tanto! Conhecer-me é o que me move! É o que me faz procurar a Patricia, para me ensinar um pouquinho que tanto me ajuda a crescer. Fazer e interpretar os gráficos do meu ciclo menstrual é o que mais anseio, assim que tirar o DIU. Quero pôr em prática o MNF e tomar as rédeas do meu corpo e da minha vida! Mas para além de todas as questões práticas relacionadas com o ciclo menstrual, todas as outras questões para além de nós, pessoas físicas, são as que engrenam, lentamente, no nosso eu profundo e fazem-nos pensar nos que podemos fazer para termos a plenitude do nosso ser, de NÓS!
Os Workshops Ciclo Perfeito são o nosso despertador interior e a Patricia a campainha (soa a música divertida, porque vamos querer acordar – acordar para a vida)!
Rita Correia dos Santos, 40 anos, Santarém 
Para mim os conteúdos da parte da manhã foram os mais cativantes. Embora estivesse já a par de algumas das regras do MNF foi bom poder compreender melhor os seus fundamentos e poder também “exercitar” a leitura dos gráficos/avaliações. A ciência do método fascina-me (talvez por ser a dimensão mais “palpável” do ciclo de cada uma)!
Os conteúdos da tarde foram mais sensíveis, e talvez por isso os mais “incomodativos”. A cada dia que passa apercebo-me da pertinência do domínio emocional quer no ciclo quer na vida em geral, e do impacto que as diversas alterações podem ter em nós. Ainda assim, este é um dos campos em que tenho sentido mais dificuldades em aplicar mudanças. Porque é preciso maturar algumas coisas, porque é preciso ter algum coragem para arrumar algumas gavetas entre abertas e isso não é propriamente simples. Mas bom, como tu própria disseste a ideia é deixar-nos a refletir e pelo menos para mim o objetivo foi concretizado. Sandra, 25 anos

O Círculo Perfeito apareceu na minha vida no momento certo; e veio mudá-la, e mudar-me a mim também, para sempre. O CP1 foi um abre-olhos para a importância dos nossos ciclos (sim, mesmo para quem não quer engravidar!) e quais os fatores físicos e ambientais que os podem influenciar. O CP2 permitiu-me aprofundar as regras do MNF, por um lado; e, por outro, fez-me refletir profundamente no impacto que a nossa mente e emoções têm, nos ciclos e não só. Os workshops não te dão as respostas todas; não me fizeram sentir subitamente iluminada! Cada workshop fez-me questionar, perguntar e, consequentemente, aprender. Cada workshop me deu «trabalho de casa», trabalho esse que continuo a construir e a assimilar, aos poucos. Sinto que trouxe comigo ferramentas valiosas e que o caminho ainda só agora começou. Não consigo imaginar nenhuma mulher que não beneficiasse da participação nestes CP. Resta-me agradecer-te, Patrícia, por seres uma daquelas pessoas que entraram na minha vida e a mudaram para melhor 🙂 Obrigada! Ana Sílvia, 27 anos

Não consegui ir ao CP Mamãs porque estive em repouso no final da gravidez. Já tinha feito 1 workshop do CP mas no pós-parto o MNF só me punha os nervos em franja e, confesso, não fazia ideia do que estava a fazer. Foi essencial o acompanhamento da Patrícia nesta fase (…) Aqui em casa, há muito tempo que lhe chamamos a bombeira de serviço LOL agora é para engravidar, agora para não engravidar, daqui a um ano outra vez para engravidar haha grata, grata!
Mafalda, Estoril

Depois de ler o ebook da Patrícia e fazer uns mapas, percebi que não percebia nada do meu muco e decidi começar um acompanhamento individual (…) ía mandando fotografias e a Patrícia ía-me orientando. Em 8 meses tenho finalmente o meu problema resolvido. Grata por todo o teu apoio neste processo, linda!
Mariana –  Lisboa 

(…) estas sessões contigo foram TOP! sinto pela primeira vez que posso confiar no controlo que faço dos ciclos (…) pílula nunca mais! Devias vir cá dar workshops, andamos todas enganadas 😄
Susana – Ilha Terceira

(…) sinto-me mesmo em paz com com o meu período. Devia haver mais Patrícias!
Ana Rita – Fuzeta

Em Junho de 2016 sofri do meu primeiro aborto espontâneo as 7s de gravidez e ficou retido até as 12s até haver a expulsão… era a minha primeira gravidez não queria acreditar porque comigo….foram os piores meses da minha vida. Tentei fazer uma vida minimamente normal após o aborto, arranjar distrações, atividades mas era impossível…. não engravidei logo de seguida então já pensava que tinha um problema… tinham passado meses mas se me falassem em aborto a mágoa vinha e as lágrimas também.
Entretanto conheci a Patrícia, conheci o seu trabalho e em janeiro deste ano (2017)  fiz o workshop CP1… foi um dia completo e vim de lá fascinadíssima…
Engravidei logo após o CP1. Estava radiante até que uns dias depois vem um corrimento rosado… fiquei assustadíssima, só chorava, fui a uma urgência mas nada deu para ver porque ainda era muito cedo só estava de umas possíveis 4 semanas… Ía mandando mensagens à Patrícia e as palavras dela tranquilizavam tanto o meu coração. Até que se confirmou o que eu não queria: tinha uma gravidez sem embrião…  o mundo tinha caído em cima da minha cabeça… estava lá no fundo do poço tantos sonhos tantos planos, porquê novamente a mim… só posso ter um problema.
Entre a perda de sangue que tive e a confirmação da gravidez anembrionária fiz uma sessão com a Patrícia através do skype e fez-me tão bem… ela fez-me ver como é importante olharmos para dentro e não ao nosso redor….como estava tão angustiada queria mais sair deste meu corpo do que olhar para ele e ainda para mais para dentro…. disse à Patrícia “quero acelerar o processo mas ainda não aconteceu nada” e ela diz-me “minha querida, (…) dizeres que queres acelerar o processo não resulta se não te libertares da ideia desta gravidez; cria espaço e deixa ir”… pois bem, nesse próprio dia escrevi uma carta ao meu filho que estava a partir, chorei tanto mas tanto mas tanto mas senti sim que foi uma despedida… fiquei aliviada. No dia seguinte estava com um corrimento acastanhado quando vi fiquei “contente”… eu estava a aceitar, eu estava a deixar ir o que tinha que ir… podem não acreditar mas foi mágico… o poder da mente é extraordinário e tal como a Patrícia diz “o nosso corpo é uma máquina extraordinária de eficiência” (…)
Engravidei logo no ciclo após o aborto, não estava nadaaaa à espera mas a verdade é que resolvi bem os meus abortos embora tenham sido dolorosos psicologicamente ficaram lá atrás e a ajuda da Patrícia foi fundamental para confiar no meu corpo é saber que embora tenha sido o segundo eu não tinha nenhum problema.
Estou grávida de 20s hoje, espero uma Carolina com muito amor para dar mas só estou a conseguir viver esta gravidez com tanta serenidade devido ao meu percurso, devido aos meus dois bebés que não nasceram, não quero apagar da minha história porque já faz parte da pessoa que sou hoje …..todas nós somos capazes apesar destas dores que a vida nos proporciona (…) mas eu tenho que confiar no meu corpo é acreditar que ele só me protege e com alguém diz…. “é uma máquina extraordinária de eficiência” aconteça o que acontecer temos que olhar para dentro e não para fora.
Obrigado Patrícia, sem ti não era possível este pensamento sereno e esta autoconfiança que sinto tão genuinamente ❤️
Cátia Mercier

foram dez meses desde que te contactei a primeira vez e a marcação da sessão. Tens uma maneira de ver estas coisas que ninguém nos diz, a confiança e a leveza que passas… faz muito diferença… só quem já se sentou em salas de espera das clínicas é que percebe o que estou a dizer (…) e o foco na cabeça ah a cabeça LOL  OBRIGADA!
Marta – Óbidos

(…) tenho formação na área das Ciências e só marquei a sessão individual por insistência de duas amigas que já eram seguidas pela Patrícia porque achava que ía desperdiçar dinheiro. (…) A dedicação, o acompanhamento e a qualidade da informação é fora de série. 5 estrelas!
Mª João – Trofa

Resolvi ser mãe. Digo resolvi porque já há muitos anos que pensava nisso mas conheci a Patrícia e pensei: “antes de andar aqui a tentar, quero perceber como é que “isto” funciona. Tive uma sessão online e fiquei abismada por ter 29 anos e não saber metade do funcionamento do corpo da mulher. Engravidei no mês seguinte e abortei às 4 semanas e 5 dias… Fiquei de rastos. Falei novamente com a Patrícia e ela explicou-me possíveis razões e o mais importante: não ter pressa, perceber o corpo e relaxar. Precisei mesmo de psicofármaco do qual faço ainda desmame e agradeço todas as ajudas principalmente da querida Patrícia que teve uma paciência inesgotável.
Passados 9 meses estou grávida, não sei como será mas sei que o meu corpo está a funcionar, só preciso de relaxar e ouvi-lo, sem pressas…
O aborto foi uma dura aprendizagem mas serei agora outra mulher, e só tenho de agradecer esta aprendizagem maravilhosa e contínua à fantástica educadora que é a Patrícia. Confiem meninas, vivam e conversem com as amigas, descobri que muitas já tiveram abortos mas calaram-se.”
(este testemunho ainda é anónimo porque a notícia da nova gravidez ainda não chegou a todos)

4 sessões de acompanhamento e posso dizer que estou quase pró no MNF ehehe Para quem não quer ter filhos, como eu, isto de ler coisas na net e esperar que corra bem é muito arriscado. Recomendo-te a toda a gente que conheço 😬
Vanessa – Oliveira de Azeméis

Quando a minha irmã me falou de ti estava tão desesperada que estava por tudo… levamos cada lavagem cerebral! 🙁agora digo todos os dias quando acordo bom dia ao meu corpo! máquina de eficiência! eheheh 😉 fizeste toda a diferença e esta gravidez tb é um bocadinho tua e penso em ti muitas vezes. Obrigada, obrigada, obrigada!
Marta – Setúbal

(…) e levei a vida toda a achar que o meu corpo não funcionava e afinal eu é que não percebia nada disto! Quando a Rita nascer, quero que a conheças! Grata por tudo.
Isabel – Algés

 

Estive quase dois anos no grupo do círculo perfeito a ganhar coragem (…)… não é fácil conviver com infertilidade… Por um lado, estou contente por saber o que se passa, por outro, muito revoltada com a desinformação e a forma como os médicos nos tratam! Recomendo-te a todas as minhas amigas para que não tenham que passar pelo mesmo que eu (…)
Ana Margarida – Guarda

 

(…) tenho vontade de voltar ao meu médico que me dizia que tinha de voltar à pílula para “regular os ciclos”, para o mandar fazer um programa contigo!
Patrícia – Cacém

“(…) falei-lhe do Círculo Perfeito e de tudo o que tenho aprendido e ficámos a maior parte do almoço a falar sobre isso, eu maravilhada (…), e ela estupefacta porque não imaginava nada disto, tal como eu há um mês atrás. Então ficámos realmente entusiasmadas e surpreendidas (surpreendidas! temos ambas 29 anos!!) com tudo o que se passa dentro de nós. apercebo-me que nenhuma delas faz a mínima ideia do que se passa dentro de nós (tal como eu não fazia). Tenho vontade de recomendar as tuas sessões/workshops a todas elas!!”
Andreia – Oeiras

Estava desesperada! a tentar engravidar há 6 meses e nada! Não me fazia sentido nenhum recorrer às consultas de infertilidade porque no meio de tudo achava que estava bem. Fazer este caminho com a Patrícia ajudou-me a perceber coisas básicas que nunca ninguém me tinha explicado. Identifiquei a minha janela fértil, alterei o meu estilo de vida e voilá!… estou grávida de 5 meses e meio! Obrigada, Patrícia!
Andreia – Amora

A Patrícia é super-disponível e compreensiva. Nunca consegui ir a um Círculo Perfeito (…) Fiz 5 sessões de um programa de saúde menstrual e deixei de detestar ter o período 😉
Olga – Lisboa

Tive uma educação muito complicada nestas coisas do corpo. Depois de ser mãe, senti-me outra pessoa mas ao mesmo tempo muito confusa com tudo. A Patrícia ajudou-me a viver melhor a maternidade, a compreender a minha sexualidade e a viver melhor com o meu corpo.
Rute – Lisboa

No dia em que recebi a notícia de uma infertilidade inexplicada fiquei de rastos. Uma amiga tinha-me falado no Círculo Perfeito e apesar de achar que não me ía ajudar em nada, estou muito satisfeita com o que recebi. Não estou grávida ainda mas percebo agora muitas coisas que sem estas sessões seria impossível. Continue o seu trabalho!
Maria – Lisboa

Espectacular! Já tinha feito um workshop mas decidi aprofundar e pedi um acompanhamento pessoal. A Patrícia ensina coisas que todas devíamos aprender na escola!
Sofia – Braga

Quando penso nos anos todos que andei a “varrer problemas para debaixo do tapete”, só penso no jeito que tinha dado fazer um Círculo Perfeito na adolescência.
Cláudia – Póvoa do Varzim

Vim um bocado a medo (…) Com tanta coisa que se vê por aí de coisas menstruais estava à espera que isto fosse um bocadinho desajustado ao que procurava mas estava enganada. Fiz 8 sessões que mudaram a minha vida!
Rita – Cascais


Quem frequenta o CP1 e se inicia no MNF, irá começar a deparar-se com questões relacionadas com a sua aplicação. O CP2, para além de dar resposta a essas dúvidas, vem trazer um novo despertar de consciência. Trazemos uma necessidade de reflexão e de interiorização da mensagem transmitida pela querida Patrícia, que se prolonga após o workshop. Aconselho mesmo, mesmo, mesmo. Tem sido um caminho de descoberta surpreendente, ao qual estou cada vez mais rendida. Raquel, 26 anos

Simplesmente fantástico.
A informação correcta, simples e objectiva, a desmistificação de tantas crenças que nos condicionam na nossa vida. Neste workshop aprendi a “ler” gráficos e a interpretá-los, há uns anos tentei fazer gráficos mas achava-os demasiado complicados!
Próximo ano será nova vida 🙂 Já neste próximo ciclo vou enveredar por novos caminhos “graficando” o meu ciclo , a minha saúde 🙂
Saí com ainda mais consciência sobre a minha saúde e como posso melhorá-la.
Carla, 36 anos, Alenquer

Uma vez mais gostei bastante do wks. Desperta para uma série de coisas, grande parte delas simples e bastante lógicas. No entanto é informação que não oiço em mais lado nenhum a não ser nos wks ou na página de facebook. Verdadeiramente tudo o que tenho aprendido tem sido muito importante e tem feito a diferença no meu dia a dia.
La Salete, 36 anos, Caramulo

O CP2, principalmente na segunda parte, é uma provocação à nossa alma, a quem somos e a quem queremos ser, coloca questões que nos fazem pensar para além do nosso umbigo.
Dificilmente as coisas voltam a ser como eram e por isso muito obrigada.
Patrícia, 41 anos, Santarém

Se gostei do workshop? Muito.
Uma das razões principais é que senti que não foi uma “professora” a falar para alunas, foi uma mulher a falar com outras mulheres. Foi uma partilha com vários sentidos, e isso é muito enriquecedor.
Marta, 30 anos, Braga

A parte da manhã do CP2 foi excelente para mim, porque me tirou grande parte das dúvidas que eu tinha – o facto de mostrares gráficos de exemplo foi óptimo porque se percebe na prática os resultados e a coisa já não parece assim tão complicada! 🙂
A parte da tarde do CP2 apanhou-me desprevenida! (…) Tenho noção dos “fantasmas” que me perseguem (…) e pôr isto cá para fora tem muito peso emocional.
Sara, 31 anos, Oeiras

O Círculo Perfeito 2 foi especial. Tocou todos os níveis – físico, emocional, mental, espiritual –, desde a nutrição, à ferida materna, ao cruzamento de indicadores na análise do ciclo menstrual, à responsabilização de um processo tão pessoal, mas comum a todas as mulheres, do que queremos fazer com a nossa vida e da relação com o nosso corpo. Um ambiente intimista tão bem criado, dinâmico e criativo, e, simultaneamente baseado numa visão científica, estruturada, consciente e informada. Saí renovada, revigorada, inspirada por ser mulher. A Patrícia tem este dom – o de agitar, acordar, inovar e fazermo-nos religar à nossa condição feminina. Foi fantástico!
Vânia Silva, 36anos, Santarém

O CP2 reserva-nos a novidade de um espaço para uma dimensão mais espiritual e de conexão do corpo com a mente. A partilha é mais íntima, mas o ambiente é mais leve e fluido. No CP2 a Patrícia convida-nos a fazer uma introspeção sobre alguns dos nossos padrões e linhas para análise da sua origem e resolução. Eu diria que o tema fucral é a fertilidade, analisada numa perspetiva mais fisiológica (mapeamentos, hormonas, entre outros), mas também numa perspetiva psicológica, de como podemos (e devemos!) identificar e estancar alguns padrões que influem diretamente no nosso ciclo e nos nossos variados relacionamentos interpessoais.
A par da fertilidade discutimos, com maior pormenor que no CP1, a saúde feminina, aspetos que frequentemente renegamos para 2º plano até serem chamados ao 1º.
Fica claro como todos estes pontos se relacionam e interligam (formando um círculo perfeito), e de como é importante a preparação do corpo e da mente para os desafios que a vida nos reserva.
Não tenho a mais pequena dúvida da utilidade que este dia teve e terá para a minha vida, e de como me ajuda a ser cada vez mais saudável, em todas as dimensões.
Joana Santos, 34 anos, Lisboa

O CP2 empurra-te para fora da tua zona de conforto. Cria instabilidade. É fraturante. É todo um processo de “condensação” que transforma em água líquida e clara, aquelas “nuvens” que te acompanharam pela vida e até pela porta dentro. Sais de lá com outra perspetiva de ti, do teu corpo e da relação que tens e queres ter contigo e com o resto do mundo. É exatamente o que precisas para aprofundares a tua jornada de auto-conhecimento.
Salomé, 25 anos, Cascais

O Círculo Perfeito é uma viagem. Se o CP1 é o “pontapé de saída”, em que aprendemos a ser Mulheres que se responsabilizam pelo próprio corpo em vez de o silenciar, o CP2 é verdadeiramente mind blowing. Faz-nos sair da nossa zona de conforto e entrar em confronto directo com emoções que escondemos de nós mesmas por alguma ou por muitas razões.
O CP2 não acaba na sala do Espaço Amar. Fiquei a pensar nas questões que a Patrícia colocou durante muito tempo. Resolvi exorcizar alguns demónios que nem sabia que existiam, decidi-me a fazer um caminho que por vezes nos custa muito, que é o de perdoar. É um processo de cura, de reconexão connosco mesmas, através da abertura da ferida materna. Agora percebo o que significa essa expressão. Muitas vezes queremos simplesmente esquecer que ela existe.
Mas a Patrícia “põe o dedo na ferida” e depois mostra-nos o processo de cura, e não há nada melhor do que isso, para quem tem mãe e para quem, como eu, já não a tem. Mas para isto não ser um testemunho lame, tenho de dizer que adorei aprofundar conhecimentos sobre as regras da análise de mapas dos mais variados ciclos e o funcionamento das hormonas durante um ciclo menstrual. Saí do CP2 mais instruída, mais rica e com mais certezas de que este é o caminho.
A Patrícia é sem dúvida uma das minhas estrelas polares <3
Mia, 24 anos, Matosinhos 

No CP2 adquirimos novos saberes que vêm completar o que aprendemos no CP1. Mas o CP2 foi muito mais que isso… Foi mais uma viagem de auto-conhecimento, um despertar de consciência para algo que estava ‘cá dentro’ e eu ainda não me tinha apercebido. Foi um juntar de alguns pontos e descobrir que há outros para serem unidos depois do respectivo trabalho feito. E na minha opinião é um círculo muito mais intimista, talvez por também reencontrarmos mulheres do CP1 que partilham da nossa caminhada… Recomendo, e sem dúvida que estarei no CP3! =)
Marta Paiva, 29 anos, Lisboa

O CP2 surgiu na hora certa: entreabriu algumas gavetas (da mente, do coração, do útero), puxou uns fios desalinhados e deu-me coragem para voltar a tecer a minha história com belos fios de prumo dourados. Estou muito grata por ter (re)encontrado a Patrícia e este grupo. O CP2 foi muito, muito especial.
Claudia Machado, 35anos, Matosinhos

O Círculo Perfeito 2 elevou-me a consciência de mim, do meu eu interior, do (bom) trabalho constante que é sermos a nossa prioridade. Porque este não é um caminho fácil, o da abertura da mente e do remexer no que dói, mas faz tanto sentido e ajuda-nos a crescer mais e melhor!
Diana Ferreira, 31 anos, Lisboa

Revolucionário – pela forma como nos consegue fazer sair da zona de conforto, ganhar novas perspectivas e consciência, bem como ferramentas para alcançarmos a melhor versão de nós mesmas!! Devia ser formação contínua obrigatória… 😉
É muito reconfortante ter quem nos acompanhe e oriente nesta viagem ao interior de nós mesmas, sendo que encontrei na Patrícia uma querida amiga.
Luísa Sampayo, 34 anos, Guimarães

O CP2 aprofunda conceitos do CP1 e traz novas e importantes reflexões sobre a forma como cuidamos de nós. Para mulheres que se pretendem responsabilizar pelo seu próprio bem-estar (fisico, emocional), adquirir consciência do corpo e descobrir a sua verdade. Muito muito bom! 
Ângela Félix, 36 anos, Porto

O CP2 serviu para perceber que existem feridas não visíveis, mas que é preciso cuidar delas para que estas possam cicatrizar. Se pudesse definir o CP2 numa única palavra, talvez escolhesse a palavra reencontro. Reencontro comigo enquanto mulher, enquanto filha, enquanto pessoa, reencontro com quem fui e com quem quero ser. Reencontro com os meus sonhos… Faltam-me as palavras para definir e expressar a importância que apenas um dia teve em mim e estou eternamente grata por tudo, Patrícia.
Margarida Senra, 32 anos, Castelo Branco

O CP2 serviu para aprofundar o que já tínhamos falado no CP1. No entanto, considero que o CP2, foi muito mais intimista, falou-se do “controlo natural de fertilidade, cruzamento de indicadores, gráficos” e aprendemos sobretudo a entender melhor o nosso corpo, a responsabilizar-nos pelas nossas escolhas e pelo seu bem-estar, falou-se mais sobre a parte emocional. A Patrícia tem o dom de me fazer sair da minha zona de conforto sem que eu tenha vontade de ignorar ou fugir. Ao fazer simples questões ao longo do CP2 fui descobrindo novas coisas sobre mim (que estavam lá mas eu tinha a porta fechada), fui confrontada com outras que nunca pensei, mas depois, em casa ainda a processar o dia que sido, “fazia tanto sentido” o que se tinha falado, o porque de eu reagir assim em algumas situações. Agora é continuar o caminho porque “eu não sou a minha a mãe” e agora não continuar este caminho já não faz sentido.
Vanessa Camilo, 28 anos, Póvoa de Santa Iria

 


 

Antes de me felicitares, deixa-me felicitar-te pelo bebé CP1 😊
Tinhas toda a razão, parece que a teoria da Ocitocina é verdadeira eheh
Sei que ficas feliz por estas boas notícias, e se formos olhar para a probabilidade de uma mulher com endometriose, sem qualquer tratamento hormonal ou cirúrgico, engravidar no segundo mês em que tenta, parece-me uma excelente notícia! Eu pelo menos ainda estou incrédula 😊
Fiz ontem a noite um teste de gravidez, pelo clichê, mas sinceramente não era preciso. Aprendi a ouvir tão bem o meu corpo, que (e isto pode soar estranho) (…) já tinha praticamente a certeza de que estava grávida. E isso é realmente mágico.
Sei que isto não é o final de um ciclo, mas sim o início de uma caminhada que rezo para que corra bem.
Um beijinho muito grande e obrigada por me teres ensinado tudo o que permitiu que este milagre da vida acontecesse. Sobretudo sobre a importância de sermos gratos, pacientes e bondosos com o nosso corpo. Logo eu, que achei que ele não me dava ouvidos… P., 29 anos

Gostei bastante do workshop. De início ia um bocado apreensiva pelo facto de o grupo ser constituído por pessoas com objectivos bastante diferentes mas, tal como tinhas dito, tirei a informação que precisava.
Achei a informação bastante importante e fiquei incrédula pela quantidade de informação básica que desconhecia. No entanto, também muito assustadora. Não estava à espera de ser tão responsável pelo que se passa comigo. Tal como te tinha dito passei os últimos vinte anos (incrível para mim escrever este número, vinte, parece-me uma vida) a deixar esta situação nas mãos da pílula e sem nunca ter pensado verdadeiramente nas implicações disso. Fiquei um bocado assustada depois do workshop, a pensar nas coisas que faço comigo, ou melhor nas coisas que não faço para tomar conta de mim… A., 37 anos

Gostei muito do workshop por 3 motivos principais:
1. sou mais de ouvir do que falar e não aprecio as dinâmicas que por vezes “forçam” intimidade/proximidade entre as pessoas. Neste caso estava particularmente receosa deste momento porque, tal como disseste, cada pessoa procura informação por motivos distintos. (…) termos saltado esta apresentação entre nós foi muito positivo para mim.
2. O conteúdo é interessante e apresentado de forma a que qualquer pessoa possa entender. Ou pelo menos ter as bases que permitam uma investigação individual mais consciente.
3. Bases científicas. Hoje em dia, é fácil estar a falar e alguém dizer “ontem li um artigo…”, mas na verdade era alguma outra coisa, estilo artigo de jornal na rede social. Gostei de teres frisado várias vezes as fontes da informação, a importância de se buscar informação segura e não aceitar algo que aparece numa página qualquer.
Deu-me segurança na informação que passaste.
A melhorar diria só que por vezes senti que passámos a correr em alguns assuntos.Tânia, 32 anos

Agradeço por teres cruzado o meu caminho, aprendi mt, neste workshop, eu ia em busca de suprimir um pouco a minha iletracia corporal relacionada com o ciclo menstrual (órgãos, hormonas, sintomas) e como td se conjugava no corpo de uma mulher.
É certo que nos círculos de mulheres dizem que somos cíclicas etc… ok td bem, mas o que se passa no meu corpo que justifique essa ciclicidade? este workshop foi a resposta! Grata mt grata. Que continues o teu trabalho a dar conhecimento e a despertar mtas mulheres! Ana, 34 anos

No dia 6 de novembro fui para casa feliz, a sentir-me muito bem comigo e com o mundo.Foi um dia cheio de aprendizagens, mas acima de tudo foi tempo de ganhar confiança em mim, nas minhas decisões e no meu corpo.
(…) tudo à nossa volta é instrumentalizado, artificial e medicalizado por tudo e por nada. No dia 6 foi dia de remar contra a maré e reforçar a confiança em mim e nas minhas decisões. O mais inspirador foi fazê-lo em conjunto com outras mulheres e sob orientação de uma pessoa confiante, assertiva, conhecedora, apaixonada e por isso inspiradora como tu! Marta, 28 anos 

Eu não fui para o CP1 em busca de nada específico. Foi um misto de curiosidade e vontade de manter/melhorar o meu caminho de diminuição de químicos. Vim de lá cheia de vontade de pôr em prática tudo o  que aprendemos e ansiosa pelo fim do ciclo. Mas, especialmente, feliz por ter dado um grande passo em direcção ao conhecimento pleno do meu corpo 🙂 Daniela, 31 anos

Gostei muito do dia e correspondeu totalmente às minhas expectativas. Já pertencia ao círculo perfeito no facebook há uns anos e entretanto entrei também para o MNF. Ao longo destes últimos anos fui tomando mais consciência da importância do ciclo menstrual e despertando para coisas que o influenciam. Assim, apesar de não ter ficado surpreendida pelo que ouvi no workshop (uma vez que a maior parte das coisas já tinha lido antes), senti que foi um bom apanhado de tudo, e ganhei também com as partilhas pessoais (tuas e das outras mulheres). Obrigada por tudo! Mariana, 23 anos

O Circulo  Perfeito é, para mim, uma forma de continuar a conhecer o meu corpo cada vez melhor. Uma forma de me conectar mais ao que sou (um ser vivo natural), a quem sou (eu, Patty, a pessoa). É uma caminhada que já começou há algum tempo, que no meu caso tem muitas curvas e contracurvas, que evidentemente e pelos vistos fazem parte deste meu caminho pessoal, mas que me leva cada vez mais perto de mim…
Tenho 48 anos e o Circulo Perfeito faz sentido porque sou uma mulher fértil, membro de um casal que já não deseja engravidar, e que deseja viver uma vida sexual serena, relaxada e completa. E porque sei que mesmo quando já não for fértil continuarei a ter hormonas que são parte importante do meu equilíbrio como mulher, e como pessoa. Patty, 48 anos, Cascais

Fiz o meu primeiro Círculo Perfeito e a minha mente abriu-se para uma série de novos conhecimentos que, até então, desconhecia parcialmente ou por completo. Conhecimentos importantíssimos acerca do MEU corpo…sim, da minha “casa” da qual nem lhe conhecia quase as divisões, quanto mais os pormenores maravilhosos que ela tem. Este é o início de um trabalho contínuo com o nosso corpo que vale muito a pena. E a Patrícia? É maravilhosa… super disponível para nos ajudar em tudo e nos dar sempre o alento necessário para continuar. Rita- Algarve

O ciclo perfeito deu-me ferramentas para perceber o meu ciclo e como devo organizar a minha vida em função dele. Ganhei sensibilidade para perceber o que me é tóxico e como devo preservar a minha saúde”. Catarina, Porto

Respeitar-me mais e a valorizar-me mais enquanto mulher; a gerir melhor o meu tempo e agenda, e a manter-me mais energética; a conhecer-me melhor.” Ana, Corroios

Mudou muito compreender melhor os ciclos para além do que já sabia, interpretar o muco cervical e acabar com as dores menstruais sem recorrer a medicamentos foi revolucionário.” Ana, Lisboa

Uma ferramenta de auto conhecimento mensal; uma ligação com a minha sexualidade , com o meu lado feminino; um respeito pelo sangue menstrual; uma admiração pelo perfeição do corpo da mulher. Mais paz interna.” Rita, Estoril

Graças ao workshop do Círculo Perfeito, reconciliei-me com o meu corpo.
A minha atitude já é bastante diferente passado um mês.” Amélie, Fuzeta

Não me passa um produto cosmético pelas mãos sem que eu analise o rótulo, assim como, cada vez que tenho cravings, ansiedade, etc. Páro para reflectir na “asneira” que cometi e como vou corrigi-la. Extremamente prático o workshop.” Salomé, Cascais

O workshop foi um arranque para uma viragem na minha vida! A Patrícia tem uma energia contagiante que nos faz conhecer um caminho mais completo e feliz como mulher!” Daniela, Porto

Um dos primeiros passos num longo caminho em busca de uma vida mais equilibrada. Se quero estar em sintonia com os outros, tenho de, em primeiro lugar, estar em sintonia comigo mesma.” Margarida, Castelo Branco

Foi um ‘abrir de olhos’, não tinha a noção de tanta coisa má que estava a fazer ao meu corpo…” Marta, Lisboa

A menstruação, para mim, sempre esteve associada à dor, por isso sabia que precisava de respostas que não estava a conseguir obter. O workshop foi uma oportunidade para perceber como tanto do nosso ambiente nos afeta e como está ao nosso alcance mudar o padrão.” Elsa, Faro

Conhecer o o meu ciclo, o meu corpo; ouvir o que ele me diz e saber o que posso fazer para lhe dar o que ele precisa!” Eva, Lisboa

NEWSLETTER

 

Detestas ter a caixa de correio cheia de emails? Eu também. Prometo só dar notícias de vez em quando!

Fechar
Este site utiliza cookies para melhorar a tua experiência de navegação.